Saiba como é a rotina dos concursados de tribunais

4 minutos para ler
Banner GeoTextoPowered by Rock Convert

Conseguir um bom emprego é um desejo de muitos brasileiros. No nível Federal e no Estadual, o Poder Judiciário é bastante cobiçado pelos que buscam uma vaga em concursos públicos. Afinal, a rotina dos concursados de tribunais é caracterizada por ter muitos benefícios.

Uma dessas vantagens é a estabilidade, que exige o trânsito em julgado de sentença condenatória para o processo de demissão no serviço público. Após três anos de efetivo exercício, o funcionário tem a garantia de que apenas ficará desempregado, caso cometa alguma falta grave, prevista na legislação.

Neste artigo, serão destacados os cargos, as atribuições dos funcionários do Poder Judiciário Federal e outros aspectos relacionados com a carreira. Confira!

Conheça alguns cargos do Poder Judiciário Federal

Na União, há concursos em diversos estados para os Tribunais Regionais Federais (TRFs), os Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs) o os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs). Muitos candidatos são atraídos ao cargo de técnico judiciário. Ele exige a conclusão do ensino médio ou de curso técnico, dependendo da atividade profissional a ser exercida.

De nível superior, o cargo de analista judiciário é composto por três especialidades: Área Judiciária; Oficial de Justiça Avaliador Federal e Área Administrativa. Nas duas primeiras, o candidato deve ter graduação em Direito. Na última, precisa ter curso superior que varia de acordo com a função.

Entenda a rotina dos concursados de tribunais

Com a intenção de mostrar o funcionamento do Poder Judiciário, serão abordadas as principais características dos 4 principais cargos.

Analista Judiciário (Área Judiciária) 

É responsável por diversas atividades, como:

  • elaborar laudos, pareceres ou informações importantes para o andamento dos processos;
  • assessorar os magistrados; 
  • cumprir e publicar despachos;
  • promover intimações;
  • atender ao público externo. ​

A remuneração inicial bruta é de R$ 11.003,93, considerando o auxílio-alimentação de R$ 884,00.

Analista Judiciário – Especialidade Oficial de Justiça Avaliador Federal

As principais atividades do cargo são:

  • executar citações, mandados e prisões;
  • fazer a execução de arrestos e penhoras;
  • atuar em outras diligências relacionadas com a função.

É um cargo que pratica diversas atividades externas, destinadas ao cumprimento de ordens judiciais. O salário inicial bruto é de R$ 12.706,80, contando com o auxílio-alimentação de R$ 884,00.

Analista Judiciário – Área Administrativa 

Os servidores trabalham com diversas atividades, como:

  • recursos humanos; 
  • administração de materiais e de patrimônio; 
  • processos licitatórios e de contratação; 
  • controle interno; 
  • transporte; 
  • segurança. 

A remuneração inicial bruta é de R$ 11.003,93, levando-se em conta o auxílio-alimentação de R$ 884,00. 

Técnico Judiciário 

Neste cargo, o servidor tem como principais responsabilidades: 

  • cumprir despachos; 
  • promover citações e intimações; 
  • expedir ofícios e certidões; 
  • atender ao público. 

A remuneração inicial é de R$ 7.051,99, contando com o auxílio-alimentação de R$ 884,00. 

Saiba mais sobre a carga horária 

Os editais estabelecem uma carga horária de 40 horas semanais. Ela pode ser reduzida para 35 horas, por semana, desde que o servidor trabalhe 7 horas seguidas, sem intervalo para o almoço. O horário de entrada é flexível e varia de acordo com a lotação. 

No caso do analista judiciário – Especialidade Oficial de Justiça Avaliador Federal, a jornada de trabalho é bastante flexível, não havendo registro de ponto. O servidor cumpre uma quota de mandados por semana. 

Conheça os benefícios do plano de carreira 

As vantagens são, praticamente, iguais para os cargos de nível médio e superior. Dentre elas, estão: 

  • adicional de qualificação (12,5% – doutorado), (10% – mestrado) e (7,5% – especialização); 
  • adicional de cursos de capacitação (1% para o servidor que totalizar pelo menos 120 horas de treinamento, respeitando o limite de 3%); 
  • carreira dividida em três classes (A, B e C) e em 13 padrões. O desenvolvimento ocorre por progressão funcional (movimentação do servidor de um padrão para outro na mesma classe, seguindo o intervalo de um ano) e promoção (o servidor passa de classe para outra, respeitando o intervalo de 1 ano da última progressão); 
  • os técnicos judiciários também recebem um adicional de 5%, caso tenham diploma de nível superior. 

Com certeza, os servidores do Poder Judiciário podem trabalhar motivados. Para ficar bem informado sobre a rotina dos concursados de tribunais, siga as nossas contas nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram e YouTube

Banner GeoTextoPowered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário